Pesquisar neste blog temas do seu interes

domingo, 18 de outubro de 2009

SOLIDÃO NA ADOLESCENCIA


Aspecto cruel que se origina nas paisagens do medo; sentir-se só, isolado, com ou sem pessoas à volta; sentir-se abandonado, desvinculado do mundo. Estado de quem se acha ou vive só
A necessidade de relacionamento humano, como mecanismo de afirmação pessoal, tem gerado vários distúrbios de comportamentos;
A solidão junta ao Stress e predispõe os adolescentes a comportamentos agressivos nas aulas. Muitos adolescentes de hoje sofrem tensões e frustrações perante os quais, se encontram muito sozinhos e indefesos. É assim que nasce a rebeldia agressiva, próprias das pessoas inseguras, a qual, por vezes, desemboca em condutas transgressivas e violentas. O stress pode ser a conseqüência de se viver num lar destruído ou de pertencer a uma família em que, de fato, não existe vida e/ou convívio familiar. Atualmente muitos pais proporcionam aos filhos tudo aquilo que eles lhes pedem no campo material, mas não lhes dão critérios morais, apoio emocional ou bons exemplos. Os adolescentes, para construírem a personalidade que está a nascer, têm necessidade de modelos com os quais se identifiquem, mas nem sempre os encontram na família. Pelo contrário, na rua encontram uma imensidão de pontos de referência que os desorienta. As expectativas poucos realistas de alguns pais, instalados na cultura do êxito. Querem, a todo custo, filhos vencedores; exigem-lhes que sejam os melhores da turma, que façam a carreira universitária, que eles não puderam fazer ou que está na moda, sem colocarem a questão de se os filhos têm capacidade ou interesse para isso. É freqüentemente que estes filhos acabem por ficar destruídos por dentro: culpam a si mesmo por não terem sabido compreender ao que se esperava deles. Os adolescentes dos nossos dias nascem e crescem numa sociedade na qual cada vez existe mais tendência para resolver problemas pela via da violência. Nota-se que também existe tolerância social para com as condutas violentas. A escolaridade obrigatória para uma criança ou adolescente que não quer estudar e que não lhes são oferecida os estímulos adequados, dão lugar a muitos casos de inadaptação nas aulas. Os inadaptados tornam-se violentos, e projetam a sua agressividade para o ambiente da turma. A sala de aula é o palco ideal para que os adolescentes possam representar a agressividade que foi gerada fora dela. Acostumados a fazerem aquilo que lhes apetece e não fazer aquilo que não lhes agrada, ficam irritados por terem de se adaptar a um plano de trabalho e a umas normas mínimas de convívio, boa educação e disciplina. Concluímos que os fenômenos de violência escolar requerem uma análise profunda: é preciso aprofundar nas suas causas pessoais, familiares e ambientais, e adaptar medidas de tipo preventivo. Isto implica formar seriamente os pais e os professores em temas de psicologia e de educação da adolescência. Ensina-los a ver o adolescente de forma positiva nessa importante etapa da vida; prepará-los para atender as necessidades emocionais e para lhes formar a vontade; ajudá-los a educar-los nos valores como a paz, a vida, o respeito, a tolerância e a solidariedade. “Solidão, mais do que estar só, é a insatisfação da pessoa com a vida e consigo mesma”.

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

VOCÊ DÁ OS PARABENS A SEU PROFESSÔR (A)?

Ser professor não é tarefa para qualquer um. Todos os professores tomam para si a missão de ensinar, não só letras e números, mas ensinar a paz, esperança, solidariedade, compromisso. O teu trabalho é o mais nobre; de ti pode nascer à razão e o progresso. Professor também tem cansaços, engolem dificuldades pessoais, contornam limites, superam até crises familiares e conjugais para se entregarem ao cotidiano de ensinar; O seu dia se torna cada vez mais esquecido, mal pago, desprezado, abandonado, tudo isso em relação ao que merecem; pois enfrenta batalhas de grande monta em busca do cumprimento de suas ações, enfrentando governantes que insistem em não valorizá-lo, a incompreensão da sociedade que quer transformar a escola em reformatórios ou depósitos de problemas, a transformação do saber em mercadoria e sofre ameaças ou similar, caso não esteja agradando os alunos, que são levados a tê-lo como empecilho ao seu desenvolvimento. AGORA SORRIA!! Esqueça o cansaço e a preocupação, porque há muita gente pedindo a Deus para que você tenha muita paz e seja muito feliz! Um paiz avança no progresso, quando os dirigentes são capazes e se interessa pelo destino da educação, como foi na Espanha, Alemanha, Irlanda, Coréia do Sul... Estamos passando um futuro de crise educacional, onde o assunto mais importante passou a ser MALAS, CUECAS e MENSALÃO em vez de PROFESSOR X EDUCAÇÃO. O que podemos esperar de um pais que não valoriza a contento, o maior legado que um ser humano poder receber “a EDUCAÇÂO”. “Quem tem dia mesmo são a maiorias dos políticos, os clientelistas, nepotistas, mafiosos”. Como acabar com a violência e outros: se a educação não é prioridade? È por isso que raramente nos lembramos de políticos, do Presidente ao Vereador e de secretários. Eles passam, mas o professor fica. Como também vemos parlamentares que se elegem pelas mãos do professorado, mas depois usurpa o título, que de outro modo é sagrado para quem perde até o sono, pelo dever a cumprir. Disse Cristovam Buarque no dia dos professores. “ O Brasil só terá um bom futuro se todos os professores forem bem formados, motivados, dedicados ao seu ofício e bem pagos, e que não se justifica pagar bem o professor que não for bem formado e dedicado. Um futuro que será bom no dia em que, ao nascer uma criança, seus pais digam com orgulho: quando crescer, será um professor ou professora”. E os professores onde estão? A categoria está envelhecendo e as estatísticas revelam que os jovens não querem ser professores, a opção por magistério indicam a falta de oportunidade qualquer. Em quanto durante séculos foi o sonho de muitos. Porque nos deixamos ser tratados assim? Será que perdemos a convicção da importância de sermos educadores?

Ads by Revenue Hits