Pesquisar neste blog temas do seu interes

sábado, 20 de junho de 2009

VERSOS E POESIAS - PORTELA

HOMEM NÚ CAMPO
Para que construir escolas?
Para que levar professores?
Para que construir postos de saúde?
Para que levar médicos?
Se no campo, cada vez mais
É menos gente e mais animais (gado)
( Foi dita em um seminário em 1985)

***************************

Deixaste que o olhar do mundo,
Em fim devasse teu grande amor,
Que é teu maior segredo!
Que não terias perdido, se mais cedo
Todo o afeto que sentias se mostrasse.
Basta de enganos!
Mostra-se sem medo.

****************************


Você passa e repassa o meu corpo
E no galope você vai.
Você diz não, eu te seguro
E te insisto a galopar.
Pela a estrada dessa noite
Tentamos ao clímax chegar;
Pois é no clímax que encontramos
O valor que a vida nos dar.
Que bom seria se nesta vida
Tivéssemos sempre a galopar.
Só que a estrada é muito longa e,
Se persistirmos, não vamos agüentar.

domingo, 7 de junho de 2009

IMPORTANCIA DO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO NA GESTÃO DEMOCRÁTICA DA ESCOLA

A construção de um Projeto Político Pedagógico desvia o eixo do planejamento educativo do nível central para o nível das escolas, dando-lhes maior autonomia e abertura para a realização de experiências inovadoras e desafiadoras locais.
Sendo a escola um espaço social rico em possibilidades de trabalho cooperativo, intelectual e de criatividade, contando com ambientes e recursos destinados especificamente a determinados fins pedagógicos como: biblioteca, quadra, feiras culturais, festividades, teatro, etc., onde o aluno, visto como cidadão constrói seu conhecimento, na sua interação com um mundo físico e social no qual ele vive; este conhecimento nada mais é que uma interpretação que o homem faz da natureza, sendo assim, o conhecimento é visto nas escolas como um conjunto de formulações teóricas que foram construídas e reconstruídas ao longo da história da humanidade, e o aluno, visto como um produtor de conhecimento deixa de ser um mero receptor de conhecimentos objetivos, para ser um agente transformador da sociedade. Cabendo ao professor o papel de organizador da ação pedagógica que visa à produção do conhecimento, que do ponto de vista epistemológico, os objetos do conhecimento existem na medida em que são inventados pelo sujeito do conhecimento, na sua interação com um mundo físico e social na qual ele vive entendido com o estabelecimento da relação entre o sujeito que conhece e o objeto a ser conhecido.
O Projeto Político Pedagógico, ao longo dos anos vêem tentando, quase sem sucesso, intermediar o processo sócio cultural de sua localidade, tendo dificuldades por ter a escola uma clientela diversificada, e que, na sua maioria, são de classes menos favorecida da sociedade, oriundas da zona rural e que ainda não estão organizadas do ponto de vista social.

(...) o estabelecimento das relações existentes entre o fazer pedagógico e as questões sociais mais amplas, bem como as relações de mútua interdependência são fatores determinantes a serem considerados na elaboração do Projeto Pedagógico e da Escola... [Ferreira Neto 1996, p. 21]

O Projeto Político Pedagógico tem que estabelecer um norteamento para os trabalhos pedagógicos que se desenvolverão na escola em virtude das discussões, junto ao conselho escolar, corpo docente, pais de alunos e representantes de classes sociais, e que não possa impedir a criatividade do corpo docente e discente e sim direcionar a tematização dos projetos de intervenção pedagógica a serem desenvolvidos conforme as possibilidades e necessidades do contato de ação prática.

TRANSTORNOS MENTAIS NOS JOVENS

É na adolescência, período de transformações na vida mental do indivíduo, a qual aparece diversas manifestações comportamentais, e que se confundem entre doenças mentais e comportamentos inadequados. O uso de drogas (cigarro, bebidas alcoólicas, cocaína e outros), pode ser um simples comportamento de experimentação da vida.
É na adolescência que a pessoa se descobre como indivíduo, gerando um sentimento de curiosidade e euforia, também gera um sentimento de medo e inadequação. Nesta fase se descobre o que é ser adulto, porém não está pronto para exercer as atividades e assumir as responsabilidades de ser adulto. Buscar exemplos e seguir ídolos artísticos, esportivos e outros, para a construção de seu caráter e seu comportamento, como também a necessidade de contrariar a vontade e ou idéias dos pais e ser diferente deles, também reflete a sua personalidade jovem. Para a construção de sua própria identidade como pessoa e que ao mesmo tempo ele pode não se ver capaz ainda de se separar, gerando então um sentimento de medo e insegurança. De um lado a vontade de ser independente e diferente, do outro o medo e dificuldade de assumir a posição adulta com as suas responsabilidades e desejos, isto tudo levam o adolescente a uma fase de intenso conflito, mudando de opiniões com facilidade levando a um comportamento bastante impulsivo. Nesta fase os adolescentes precisam de ajuda neste processo de “ser adulto”, o qual, mesmo não se constituindo em doença mental, pode se constituir em sofrimento para o adolescente, neste caso é importante a intervenção psicológica para possíveis transtornos como as doenças depressivas, que é comum na adolescência, como tristeza, irritabilidade, falta de interesse ou prazer em suas atividades, insônia ou excesso de sono, abuso de substancias psicoativas (álcool e outras drogas).
A dependência de drogas, que é o transtorno mais grave deste grupo, acarreta a ausência de prazer nas atividades sem a droga e a busca incessante da mesma, muitas vezes se envolvendo em situações ilegais ou de risco para se conseguir a mesma (roubo e tráfico). Podendo aparecer também Transtornos Psicóticos que muitas vezes se caracterizam por comportamentos e pensamentos muitos bizarros e distorcidos frente a realidade. Muitos transtornos da adolescência podem se manifestar com comportamento suicida (tentativas ou ameaças de suicídio).
São muitas as possibilidades de transtornos mentais nessa fase da vida, mas todas as situações devem ser muito bem avaliadas antes de se dar um diagnóstico e que suas atitudes podem refletir em problemáticas familiares.
A família, o psicólogo, o psiquiatra, o psicanalista ainda é a solução.

Ads by Revenue Hits