Pesquisar neste blog temas do seu interes

quinta-feira, 7 de junho de 2012

O QUE A BÍBLIA PERMITE E A IGREJA PROÍBE


e_proibidoO que a Bíblia permite e a igreja proíbe
Quem proíbe: a Bíblia ou a igreja?
A Bíblia proíbe que a mulher evangélica use jóias, batom, calça comprida, ou corte o cabelo? “Sim!”, dirão muitos evangélicos. “Não!”, dirão muitos outros evangélicos.
O grupo dos que dizem sim vai mais além.
Não é permitido:
* bater palmas durante o culto
* ir ao cinema
* ir à praia ou à piscina
* ouvir música não-evangélica
* assistir à televisão
* assistir a jogos de futebol
Afinal, a Bíblia proíbe mesmo tudo isto, ou não há respaldo nas Escrituras para essas proibições?
Após observar e estudar os usos e costumes praticados nas diversas denominações evangélicas brasileiras; após ouvir milhares de jovens em congressos; após traçar o perfil de igrejas proibitivas e não-proibitivas, e observar o testemunho e o comportamento dos membros dessas igrejas, o pastor Ricardo Gondim resolveu escrever este livro.
É Proibido traz, finalmente, para a mesa de debate, um dos temas mais polêmicos entre os assuntos relacionados às igrejas evangélicas em nosso país: até onde alguns homens têm ocupado o lugar de Deus para ditar proibições?
Existem muitas pessoas hoje longe das igrejas evangélicas e totalmente indiferentes à mensagem bíblica por terem sofrido disciplinas e exclusões. Motivo? Foram vistas de lábios ou unhas pintados, de cabelos cortados, usando calças compridas, colar, brincos, jogando bola, soltando pipa ou incorrendo na prática de alguma outra proibição imposta pela igreja que elas freqüentavam. Os líderes evangélicos que excluíram, ou influenciaram decisivamente na exclusão dessas ovelhas do seu rebanho, estariam praticando uma correta e sadia exegese bíblica?
Quando pregamos que a Igreja tem que estar separada do mundo, o que estamos querendo dizer com isto? Em que devemos nos diferenciar das pessoas que ainda não confessaram a Cristo como Salvador? Será que devemos nos levantar da mesa de um restaurante quando virmos que à mesa ao lado está sentada uma pessoa que bebe ou fuma?
Por ter comido com pecadores e publicanos; por ter permitido que seus pés fossem lavados e enxugados por uma mulher pecadora; por ter pregado a sós para uma mulher de Samaria de vida nada exemplar, e por ter morrido entre ladrões, certamente Jesus também seria excluído dessas igrejas.
Quando o Senhor ordenou que fôssemos luz do mundo e sal da terra, estava se referindo a esse desafio de vivermos em um ambiente onde reinam as trevas e a imundície, sem nos deixarmos contaminar por elas. Ele nos instruiu, pois, a influenciar positivamente o mundo com a luz e a preservar com sal aquilo que ainda pode ser preservado.
É sobre este e outros polemíssimos assuntos ligados ao tema geral dos usos e costumes em nossas igrejas, que disserta, de maneira equilibrada e bíblica, o autor deste livro.

 Comentário. Eu acrescentaria o seguinte questionamento: Se há tantos Ministérios institucionalizados, qual foi edificado por Cristo? Cristo preocupou-se em construir templos suntuosos ou em pregar o Reino de Deus às pessoas? Jesus em algum momento ensinou sobre a tão professada “postura cristã”? Jesus em algum momento arrecadou ou determinou que alguém, em seu nome, arrecadasse dinheiro para o seu ministério? Na verdade, observa-se muitas exigências colocadas pelo homem nos diversos ministérios como pré requisitos àquelas pessoas que almejam fazer parte da sua membrecia ou dela continuarem fazendo parte.
                     
 http://nihilsubsolenovum.wordpress.com/2009/04/30/o-que-a-biblia-permite-e-a-igreja-proibe-ricardo-gondim/

Ads by Revenue Hits