Pesquisar neste blog temas do seu interes

domingo, 18 de agosto de 2013

A TRISTE SINA DOS HAITIANOS




O vereador Portela, de Epitaciolândia, tem mostrado preocupação em relação aos haitianos, sofredores pelas tragédias que viveu seu país e também pela procura de melhores dias. Que saem em busca do Brasil, atraídos pelas propagandas e campanhas tendenciosas. Ao chegarem no Equador são atraídos pelos coiotes que evitam que os mesmos tenham acesso ao setor migratório, que cobram de 200 a 300 dólares para levar a Tumbis, fronteira peruana. Cruzam de forma escondida seguindo orientações dos coiotes, que deixam os mesmos em casas, desta casa já tem que pagar novamente para chegar a Piura, muitas vezes a maioria ficam de forma bem escondida que até chegam a passar fome.

De Piura, pagam novamente  até Lima, onde novamente têm que ficarem escondido e sem sair na rua. De Lima pagam para ir para Cusco e de Cusco pagam novamente para irem a Puerto Maldonado, isso tudo controlados pelos coiotes, uns repassando para os outros de forma criminosa; Segundo várias entrevistas com os mesmos, o pior trajeto é o de Cusco a Maldonado, Os coiotes formam grupos de haitianos, colocam em casas amedrontam os
mesmos para não saírem e quando completam uma carga, saem em ônibus ou Micro ônibus em super lotação e que só andam a noite, eles são acompanhados pelos coiotes que muita das vezes seguem em um carro atrás do ônibus, Neste trecho são parados por barreiras policiais onde os mesmos são saqueados e como eles estão de forma irregular, tem que pagarem mais dinheiro aos policiais, que na maioria das vezes fazem busca pessoal em cada um dos haitianos, tirando o pouco dinheiro que os mesmos escondem no solado dos pés, em manga de camisas, dentro da cueca, etc, etc. tomam celulares, peças de ouro, relógio em um verdadeiro saque desumano.

Destaque de um jornal peruano
por lo que se presume que estos migrantes son captados por mafias bien organizadas que los trasladan a nuestra ciudad y los llevan hasta la frontera.
No hay ninguna autoridad que pueda frenar la trata de personas en la modalidad de tráfico de migrantes en nuestra región, ya que constantemente se registra el ingreso de ciudadanos haitianos a nuestro territorio quienes aprovechando la corrupción de las autoridades de migraciones en la frontera entre Perú y Ecuador ingresan a nuestro territorio tratando de alcanzar suelo brasilero.”

Ao chegarem em Puerto Maldonado chegam totalmente sem dinheiro, ai passam a pedirem dinheiro novamente aos familiares, enquanto isso ficam passando fome e não podendo aparecer muito. De Maldonado para  Iñapari / Assis Brasil e o abrigo em Brasiléia, são cobrados 120 dólares em todo esse trajeto só viajam pagando adiantado, quando chegam na fronteira de Iñapari um grupo de taxistas de Assis Brasil já os esperam, e isso tudo à noite, o grupo tem que cruzar, segundo os coiotes e taxistas, de forma escondida, coisa que não é verdade, eles tem o passe livre até o posto da Polícia Federal, onde passam por uma revista e triagem, são repassados para os taxistas que cobram novamente 20 dólares por pessoa para levarem ao abrigo, muitos questionam, mas não tem jeito, e se não pagarem adiantado, ninguém leva.
Em depoimento, eles dizem que gastam no trajeto peruano, em média 1.100 dólares, fora o que são tomados pelas autoridades policiais , e que ao chegarem no abrigo tem novamente que pedir dinheiro a familiares no haiti, muitos ficam mais de dois meses no abrigo por falta de dinheiro. 
http://adf.ly/1hpivU 
Os coiotes arquitetam para que os mesmos não passem pela Migração peruana, e que em alguns casos  eles pagam em migrações, mais que não recebem o controle, a migração faz um documento em uma folha de papel, carimba e não dão cópia e isso é pago.
Uns dias a trás, uma equipe de jornalismo do Peru, veio até o abrigo fazer uma matéria a qual resultou em uma denuncia na imprensa, essa matéria repercutiu no Peru, as autoridades peruanas trocaram a maioria dos policiais das barreiras das rotas.
Isso esta causando outro transtorno aos haitianos, os novos policiais, supostamente, revoltados com a denuncias, estão prendendo haitianos, que continuam vindo com coiotes. Em conversa com os últimos que chegaram, os mesmos tem que driblarem as barreiras policiais, eles contaram que nos quartéis policiais estão lotadas de haitianos retidos, mas que em muitos casos depois de algumas horas e até uns dois dias são liberados mediante pagamento, disseram que um grupo de uns 15 haitianos eles pagam em média 900 dólares para serem liberados e não continuar a viagem, alguns são notificados e recebem uma cópia da notificação, mesmo assim os haitianos conseguem de forma escondida a continuar o seu destino, que é o Brasil.
Por estes motivos é que nos últimos dias tinha diminuído a chegada de haitianos, mas que no abrigo ainda permanecem aqueles que não tem dinheiro, hoje no abrigo tem quase 500, os que conseguem dinheiro ficam poucos dias aqui, já que é só tirar os documentos e logo vão em busca de emprego nos grandes centros do Brasil.
http://adf.ly/1hpixj
Bandas internacionales de tráfico de personas ofrecen sus servicios a inmigrantes de Haití , a quienes cobran entre cuatro y cinco mil dólares.Miles de haitianos indocumentados dejaron atrás lo poco que les quedó tras el terremoto que sufrió su país años atrás y cayeron en manos de bandas internacionales de tráfico de personas, quienes cobran entre cuatro y cinco mil dólares por llevarlos a Brasil. Lo preocupante son las diversas denuncias en contra de las autoridades peruanas.
Uno de los puntos más preocupantes, según el programa Cuarto Poder, es que los inmigrantes haitíanos aseguran que los policías peruanos cobran para poder dejarlos continuar con su camino. Asimismo, otra denuncia es contra los conocidos como 'coyotes' a quienes acusan de dejarlos hasta sin ropa, además de quitarles dinero al no cumplir con promesas de llevarlos a Lima, entre otras cosas.

Ads by Revenue Hits