Pesquisar neste blog temas do seu interes

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Bondade e sabedoria

É uma disposição natural, propensão para fazer o bem. É também a qualidade moral de quem pratica o bem. É um sentimento fundado na sensibilidade aos males alheios, no desejo de procurar o bem dos outros e de lhes evitar todo o mal. Contudo, existe a opinião contrária de La Rochefoucould que afirma que a bondade também pode ser um sentimento egoísta.
Quando a bondade se mostra abertamente já não é bondade, embora possa ainda ser útil como caridade ou como ato de solidariedade. Daí: “Não dê as tuas esmolas diante dos homens, para ser visto por eles”. A bondade só pode existir quando não é percebida, nem mesmo por aquele que a faz; quem quer que se veja a si mesmo no ato de fazer uma boa obra, deixa de ser bom; será, no máximo, um membro útil da sociedade, ou um zeloso membro de uma igreja. Daí: “que a tua mão esquerda não saiba o que faz a tua mão direita.” A bondade e a sabedoria deixam de existir quando se presume, ou se percebe que aquele que a fez pode ser um sábio ou um ser bom. Sempre houve tentativas de dar vida ao que jamais pode sobreviver ao momento fugaz do próprio ato, mas isso só leva ao absurdo.
Em nossa região é fácil de encontrar, principalmente, mulheres já idosas e pobrezinhas, que vivem em bairros periféricos, colônias ou seringais, que ao chegar uma visita em sua casa, não medem esforços para oferecer um cafezinho, e com muita boa vontade o faz e ainda oferece seus aposentos. Também encontramos estas mesmas pessoas que após estarem deitadas para dormir, ao vir um temporal com forte chuva, são capazes de se levantar, botar um pano na cabeça e ir acomodar um pintinho, cachorrinho, etc. que está na chuva e no frio. Pessoas que se solidarizam com a morte de um conhecido e dividem aquele momento de dor com os familiares. Daí: “Compreender e compadecer-se, é todo o segredo da bondade”.
Também encontramos aqueles que pouco faz e muito aparecem como forma de se apresentarem como bonzinhos.
Neste mundo em que vivemos entre pessoas ávidas de poder e de bens materiais, ainda encontramos corações repletos de bondade.
Assim, a pessoa que se dá e faz isso de coração, tem sempre um ar de agradecimento porque é ele que aprende. São os pensamentos e atitudes de bondades que devemos ir cultivando na nossa vida. Só assim descobriremos o lado bom das coisas, as qualidades de tantas pessoas, e estar sereno e confiante. A bondade é amabilidade, paciência, compreensão e concórdia. Quem desenvolve em si a bondade vê nascerem em si, as mais diversas qualidades... Todas fruto e base de crescimento.

Carlos Portela Eduino

Ads by Revenue Hits